Programador, ser ou não ser?

Posted by

Ser Programador (vamos usar Programador com maiúscula, sendo o sujeito do texto) é uma aventura bastante trabalhosa, com muitos altos e baixos, muito esforço e bastante dedicação. Já levo quase 10 anos da coisa, e acreditem, que nem sempre foi um mar de rosas, aliás, raramente é.

Se és novo na área ou tiras-te o curso a pouco tempo e estás a ler isto, calma, principalmente se estás a pensar em tirar, tens de ter ainda mais calma, respira fundo, e continua a ler.

Quando comecei por estas andanças, alguns dos meus primeiros trabalhos, ainda como estagiário, foi separar parafusos, carregar bastidores e fazer entregas de manhã até a noite.

O que tem isto a ver com programação? Nada, mas era estagiário!

Digamos que quando comecei, os estagiários ainda eram vistos como faz tudo, menos o que lhes compete (será uma matéria a abordar noutro artigo), então passei por essas funções bastante cativantes, principalmente para quem tinha começado neste ramo. Sem perder a esparança em dias melhores, fiz por isso, como ainda tinha coordenador, decidi bater o pé, e mudei de empresa, e fui estagiar para outro local, e aí sim, a programação começou a aparecer como trabalho, e não fazer entregas.

Hoje em dia, não existe práticamente curso nenhum que não ensine a base de programação, e vejo muitos “pseudo-engenheiros” saírem dos seus cursos com pequenas bases, dizendo ser programadores. E na minha opinião, até são, têm o conhecimento para isso, agora basta desenvolver essas capacidades, mas nem todos têm capacidade para isso!

O facto que muitos tendem a omitir durante os cursos, é que sabendo como se faz um “if”, és mestre da programação. Não faz!

A programação é mais que simples “if’s” e “else’s”, existe muito mais por trás disso, se ser um BOM programador fosse pegar na base e viver dela, o mundo estava repleto de bons engenheiros informáticos, mas o Programador não vive só disso.

Ler mais  10 coisas que aprendi depois de me formar

A evolução tem como base o esforço e trabalho, estar 8 horas em frente a um PC a programar, nunca fará de ti o melhor, ajuda, mas o estudo “fora de horas” é a real mais valia que podes ter.

Se realmente queres entrar neste mundo e ser dos melhores, não como eu, que ainda tenho um longo caminho a percorrer, então lembra-te que apenas 8 horas dentro do teu trabalho te dará alguma experiência, mas não é o suficiente para a real evolução que podes ter se saires daquele mundo limitado e te encontrares com o vasto leque de possibilidades que a programação no seu todo pode oferecer.

Acredita, que se te vais encostar aquilo que sabes e não abrires a tua mente para aprender um pouco mais, seja com livros ou outros profissionais da área, mais tarde ou mais cedo, vais parecer um velho rezingão, com a mania que para se fazer fogo ainda se tem de usar duas pedrinhas em vez do não tão avançado, mas convencional isqueiro!

Resumidamente, se achas que tens perfil e capacidade para crescer enquanto Programador, deves apostar nessa carreira, querendo sempre apostar mais e mais nessa vocação, trabalhar e estudar estará sempre na ordem do dia, a evolução é constante, portanto a aprendizagem tem de estar sempre como prioridade.

Assim me despeço, antes que espante mais futuros colegas.

Até ao próximo artigo!

Comentários

comentarios