Os CEO’s não se interessam com Design UX, porquê?

Posted by

Algo bastante comum na maioria das empresas, é que quem gere, não tem uma ligação forte com o UX.
Grande parte dos executivos, vê o investimento num bom design como algo pouco prioritário, um fardo, algo que não requer investimento.

Nós sabemos a necessidade do bom design UX, eles não!

Não é um problema para grandes empresa

As grandes empresas como a Apple, Coca-Cola e outras, não têm problemas com design, porque elas próprias são empresas de design. Por fora, o caso muda de figura, o que nos pode deixar preocupados.
É simples perceber, que as empresas não estão interessadas no UX, desde que seja bonito e tenha o que é preciso, digo a informação, o resto são pormenores.

Os executivos, por norma o cliente final, não quer saber se vai ser intuitivo para o utilizador final. Por norma, o cliente quer mais é que a informação esteja disponível, de preferência na página inicial, o que leva a uma “sobrecarga”.

Mas porque não querem eles ouvir falar sobre isso?

A linguagem estranha e “esquecida” dos Designer’s

Usar palavras caras para executivos os clientes finais, é o principio do fim. Por norma, damos por nós a tentar explicar algo, e a tentar conter os conceitos e palavras caros, algo especifico que normalmente falamos entre nós.
Chegamos a um nível tão critico, porque sabemos as consequências de fazer um mau design UX.

Mas a questão continua por responder, porquê?

Abordamos da forma correcta?

Este é um ponto importante.
Alguns clientes e executivos, enquanto explicamos aquilo que vamos fazer com as suas ideias, abanam as cabeças.
Mas isso acontece por um motivo simples: a nossa abordagem é incorreta!

Tal como no tópico acima, costumamos usar termos caros e muito específicos. Muitas vezes o cliente não entende, nem tão pouco visualiza a nossa ideia na sua cabeça.
Esta situação leva a que muitas vezes as nossas ideias morram ainda sem quase terem nascido.

Ler mais  O que é o Ransomware?

Conclusão

Se queremos chegar perto do executivo, temos de o fazer da mesma forma, que fazemos o nosso trabalho: Com criatividade!

Temos de deixar o vocabulário caro de lado, e falar da maneira mais clara possível. Nenhum cliente quer saber o código RGB de uma cor, muito menos o que é um Pantone.

A concorrência hoje é grande, e vender bom e caro já não é solução. Abordar de uma forma pouco claro, e que consiga entrar na cabeça a quem vendemos, pode levar um orçamento a baixar rapidamente.

Sejamos claros, sejamos diretos, mas principalmente,

SEJAMOS CRIATIVOS.

Comentários

comentarios