Como funciona o Blockchain

Posted by

Recentemente falamos aqui no blog se o Bitcon é seguro. No seguimento desse artigo, é importante também perceber como funciona o Blockchain.

Existe sempre a tendência de associar o Blockchain ao Bitcoin, ou às criptomoedas no geral. Mas o Blockchain é muito mais do que isso.

Na realidade esta tecnologia começou com a invenção do Bitcoin. Com o passar do tempo, esta tecnologia foi-se desassociando cada vez mais da criptomoeda.

Funcionamento do Blockchain?

Não irei abordar o Blockchain de uma forma complexa ou muito profunda. Vou tentar deixar o mais simples para que todos possam entender e interpretar.

Existe uma rede que é composta por uma serie de blocos. Esses blocos estão encadeados uns nos outros de uma forma bastante segura e encriptada. Imaginemos da seguinte forma: cada um de nós dispõe de uma impressão digital. Sempre que é feita uma solicitação de transação, as duas entidades (ou mais) que entram nessa transação, deixam a sua impressão digital nesse bloco. Com as impressões digitais das entidades, juntamos então a informação da transação.

No caso de uma transação de Bitcoin entre duas entidades, teremos informação de uma transação financeira, juntamente com as impressões de ambas as entidades.

Ao finalizar essa transação, o bloco gera uma impressão digital própria, que se vai conectar ao bloco posterior, e assim sucessivamente.

Essa impressão digital é chamada de Hash, que une o conteúdo e a Hash do bloco anterior, gerando uma nova Hash para o bloco seguinte.

As transações

No tópico anterior, expliquei a questão da Hash, como sendo uma impressão digital. No entanto existe muito mais por trás das transações.

Sempre que iniciamos uma transação estamos a criar os tais blocos que falamos, com ponto de inicio e final. No caso de uma criptomoeda, da carteira A para a carteira B. Essas carteiras têm endereços próprios, que ficam registadas no conteúdo do bloco.

Esta transação acaba dentro de uma rede peer-to-peer. Esta rede é ligada por vários computadores que se ligam entre si, e partilham a informação.

Cada bloco existente na rede, é criptografado de forma a manter todos os dados dentro de si seguros. O Blockchain permite a criação de informação digital única, sem que permita que a mesma se replique.

Desta maneira sempre que existe uma transação, o emissor da mesma, fica sem qualquer cópia do documento.

Mas o que é o Hash?

O termo Hash é muito utilizado quando falamos de algoritmos e criptografia. De uma forma simples, uma Hash é definida como uma função matemática capaz de gerar um código. No caso de os dados de entrada para a criação de uma Hash forem os mesmos, o código será o mesmo.

A criação desta Hash, permite em muitos casos validar se as informações foram manipuladas ou não.

Uma forma bastante importante para o uso da Hash, é que esta permite que possamos validar se os dados estão corretos, mas nunca nos permite saber que dados são estes.

Mas existem vantagens e desvantagens

Olhar para o Blockchain como o salvador, pode ser uma boa abordagem. Mas como todas as tecnologias, tem pontos fortes e fracos.

Como já percebemos, o Blockchain ajuda e muito na hora de criptografar e manter os dados guardados. Muitas empresas começam a implementar o Blockchain internamente. O fato de deixar o emissor sem acesso a determinado documento privado assim que o passa para outro elemento, é um ponto bastante positivo com documentos confidenciais.

Outro fato é que as estabilidades destes dados são mantidas. É muito complicado agarrar em dados guardados na rede Blockchain e altera-los.

É claro que retirar também os intermediários pelo meio das transações, especialmente financeiras, é visto com muitos bons olhos. Desta forma é possível deixar as coisas mais claras e sem manipulações.

Mas nem tudo são rosas. Neste mundo da tecnologia, um ataque a esta rede é possível. Apesar de não ter existido nenhum ataque a uma rede Blockchain com sucesso, existem várias teorias de como poder proceder a tal ataque.
A teoria mais conhecida é a dos 51%.
Esta teoria assenta no fato de que se conseguirem atacar e ganhar controlo de cerca de 50% da rede, é possível manipular as suas informações. Mais uma vez, não passa de uma teoria.

Outra desvantagem mais visível, é o fato de que o Blockchain acaba por crescer muito ao longo do tempo. Neste momento a Blockchain do Bitcoin requer cerca de 200 GB de armazenamento. Com o crescimento da necessidade de espaço, pode acontecer que alguns “nós” sejam perdidos pela falta de espaço.

Comentários

comentarios