Laravel #2: Instalação e Configuração

Posted by

Esta serie de Laravel, tem o principal objectivo de ensinar a criar um CRUD com a framework. Este tutorial irá ensinar a dar o primeiros passos com o Laravel, de forma básica, para que assim consigas começar a criar as tuas próprias aplicações e sites, usando esta poderosa framework.

Para saberes mais sobre o Laravel, criei um artigo aqui no blog Laravel #1: O Conceito, que explora mais o nascimento do Laravel, quais os objectivos propostos pela equipa de desenvolvimento por trás da framework, entre outros temas.

Instalação do Laravel

Antes de partirmos para a instalação, precisamos de ter um ambiente local de desenvolvimento. Para isso, podemos usar algumas alternativas como Vagrant, Homestead, Valet ou o Docker. Mas não é uma obrigatoriedade.

Devemos também ter instalado na nossa máquina, o composer.

Dessa forma, podemos então instalar o nosso projecto Laravel, através da linha de comandos, usando o composer.
Devem entrar na pasta onde querem colocar o vosso projecto, e de seguida, correr o seguinte comando:

composer create-project --prefer-dist laravel/laravel name-project

Este comando irá iniciar o download do Laravel para dentro de uma pasta, dentro da pasta onde se encontram. Por exemplo, se estão dentro da pasta “exercicios“, este comendo irá adicionar duas pastas dentro da pasta “exercicios“, ficando algo como “exercicios/name-project“.

Dentro da pasta “name-project“, que será o nome que vocês iram dar ao vosso projecto / pasta, iram estar todos os ficheiros do Laravel.
Podemos também fazer a instalação via Laravel Installer.
Tal como no método acima, precisamos de ter o Composer instalado.

Para usar este método, precisamos de fazer download do instalador. Para isso basta correr:

composer global require laravel/installer

Assim que estiver instalado, basta usar o comando “laravel new” para iniciar-mos uma instalação da framework:

laravel new blog

Neste exemplo, a pasta que irá ser criada com os ficheiro da framework, é com o nome “blog”.

Ficheiros que são adicionados na instalação do Laravel

Configuração do Laravel

O Laravel é uma framework muito poderosa. Com tanta robustez, é estranho que algo se torne tão simples de utilizar. O Laravel é muito versátil, e dessa forma a sua configuração é muito simples, de tal forma que pode ser estendida consoante o projecto vai avançando.

Algumas configurações básicas a serem consideradas logo de inicio, serão a configuração da timezone, nome da aplicação e o URL da mesma.
A maioria destas configurações podem ser encontradas no documento .env, na raiz do projecto.

Exemplo de um ficheiro .env

Este ficheiro irá contemplar todas as variáveis do ambiente, podendo ser invocado em qualquer parte do projecto. Para isso, basta utilizar-mos o “env()“, com a respectiva variável.

Como exemplo do que foi apresentado anteriormente, temos dentro da pasta “config”, o ficheiro “app.php”. Podemos ver que dentro deste ficheiro, as variáveis de ambiente são chamadas para alimentar o array que é criado dentro do ficheiro.

Exemplo de um ficheiro de configuração (Ex.: app.php)

É de boa prática, que todas as configurações mais globais do projecto, sejam adicionadas no ficheiro “.env“. Estas variáveis que são apresentadas no “env“, podem ser consideradas num ficheiro de configuração, onde este irá poder ser consumido em todo o projecto.

Iniciar o projecto

Existem algumas formas de iniciar o projecto. Algumas delas foram apresentadas mais acima, como por exemplo o Docker.

Podemos também definir um VirtualHost, para que possamos aceder a um endereço como por exemplo “http://dev.laravel“. No entanto com um VirtualHost definido localmente, dizemos ao nosso sistema que não o procure na web, mas sim localmente.

De qualquer forma, o Laravel já conta como uma virtualização própria.

Este pequeno servidor web, pode ser arrancado usando o comando:

php artisan serve

Usando o comando acima, basta-nos digitar na barra de endereços do nosso browser: http://localhost:8000

Ao entrar no endereço, será esta página que teremos acesso.

Devemos ter em consideração, que usar a virtualização do Laravel, não irá correr por exemplo a base de dados. Devemos considerar que todas as aplicações externas ao Laravel, devem ser instaladas e inicializadas em paralelo. Desta forma, a utilização de um Docker ou outro ambiente virtualizado, ajuda a minimizar o esforço de inicializar todas as aplicações necessárias.

Comentários

comentarios

Deixa o teu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *