A explosão do E-commerce em Portugal em 2020

Posted by

No passado aqui no Blog, falamos sobre O Futuro do E-Commerce de uma forma global. Tal como se previa, a utilização e compra online continuou a crescer desde que o artigo foi lançado. Algo que não se previa, era a chegada de uma pandemia, que forçou ao encerramento físico de muitas lojas, sendo as mesmas forçadas a mudar o seu negócio.

Uma das maiores alterações de muitas lojas, que trabalhavam apenas de forma física, foi a digitalização, a venda online dos seus produtos.

O impacto da pandemia no E-commerce nacional

O ano de 2019, as compras online feitas em Portugal, passou os 6 milhões de euros, segundo um estufo da ACEPI/IDC.

Estamos a chegar ao final do ano de 2020, um ano com impactos em vários sectores, muito por conta do impacto da pandemia, recolher obrigatório entre outros problemas que foram deixados pelo caminho de quem geria um negócio.

Mudanças
Com a crise do Covid-19, muitas empresas foram obrigadas a construir o seu negócio online.

Muitas empresas foram obrigadas a mudar o seu foco e a mudar estratégias, passando do físico para o virtual, suportadas por lojas online, de forma a manter as “portas abertas”.

Tudo indica que não só as lojas alteraram as suas rotinas de venda, como os consumidores alteram as rotinas de compra.

Estima-se que até ao final de 2020, os valores totais de compras online possam chegar aos 8 mil milhões de euros.

Este valor pode aumentar ainda mais, se forem contabilizadas as vendas e compras entre empresas (B2B), que em 2019 estava nos 96 mil milhões de euros, sendo que 2020 pode aumentar este valor para os 110,6 mil milhões de euros.

Quais os maiores vencedores

Com o confinamento e até mesmo o receio de sair de casa, levou a que muitas empresas acabassem por adoptar a entrega ao domicílio. Neste campo, as refeições foi as que mais têm destaque durante este ano.

Atrás das refeições, temos também toda a categoria de serviços tecnológicos e digitais, como equipamentos informáticos e compra de filmes e séries, e também os serviços de streamming.

Um ponto importante de realçar, é que com a entrada de muitas lojas no campo digital, e acompanhadas em alguns casos de baixas de preços, as compras efectuadas em sites estrangeiros feitas em Portugal, desceu significativamente em relação ao ano passado.

Conclusão

Estamos a entra na época de maior consumismo no mundo inteiro, o Natal. Como vimos acima, muitas empresas tiveram de se adaptar aos tempos, mas nem tudo foi preto no branco. A realidade vai muito além disto, histórias de superação.

Muitas empresas fecharam portas definitivamente, deixando pessoas no desemprego, simplesmente porque não tinham orçamento para apostar online, entre outros motivos.

Queria em forma de nota final, deixar o apelo para comprar em Portugal e compras especialmente local, pequenas lojas que estão sufocadas neste momento e que lutam por sobreviver. Vamos ajudar a nossa economia, e vamos ajudar os mais “pequenos” a manterem-se vivos.

Comentários

comentarios